Bancários cearenses promovem manifestação pela aprovação do PL dos demitidos

 

Trabalhadores demitidos do BNB na gestão do ex-presidente Byron Queiroz estiveram, na manhã desta quarta-feira (9), em frente ao BNB Passaré, em Fortaleza, empunhando faixas e cartazes nos quais cobravam do presidente do Banco, Roberto Smith, boa vontade e empenho político para solucionar o problema que os aflige há anos: a reintegração ao Banco do Nordeste.

O ato foi uma forma de chamar atenção das autoridades que estiveram presentes à solenidade no Passaré, na qual o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, celebrou os 5 anos do Agroamigo.

“A importância de marcarmos nossa presença aqui está justamente em mostrarmos a cara. Muitas autoridades, de várias instituições, estão tomando conhecimento talvez pela primeira vez, hoje, aqui, de nossa existência e de nossa luta”, afirma Marco Aurélio Pereira, integrante da Comissão dos Demitidos do BNB na gestão Byron.

Entre essas autoridades, estava o deputado Chico Lopes, autor do PL 343/2007, e o deputado Eudes Xavier, que tem apoiado o Projeto de Lei na Câmara dos Deputados. Os funcionários demitidos reforçaram a importância da continuidade do apoio dele para que saiam vitoriosos. No mesmo sentido, também reitera a importância do apoio dos demais parlamentares.

Projeto de Lei

O Projeto de Lei dos demitidos, de autoria dos deputados Chico Lopes (PCdoB-CE) e Daniel Almeida (PCdoB-BA), encontra-se na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara Federal há três anos (desde o dia 13 de junho de 2007). Em dezembro de 2008, o relator do PL na Comissão, deputado André Vargas (PT-PR), emitiu parecer favorável ao Projeto. Desde então, a Comissão dos Demitidos intensificou os esforços para que o PL seja apreciado e aprovado com a maior brevidade possível.

A AFBNB tem se empenhado pela aprovação do PL de forma sistemática. Dessa forma, o assunto tem sido pauta constante da agenda constitucional que a entidade desenvolve, tanto em Brasília como nos Estados. “Essa é uma bandeira de luta da AFBNB por se tratar da reparação de injustiças. Esperamos coerência da atual gestão do Banco e do governo, que têm conhecimento dos atos praticados por Byron Queiroz – um regime marcado por perseguição, terror e coerção dos trabalhadores. Por isso, faz-se necessária a reparação destes atos”, destaca o diretor de Comunicação e Cultura da AFBNB, Dorisval de Lima.

Fonte: AFBNB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.