Superintendente do BB visita Sindicato dos Bancários de Sergipe

Nesta sexta-feira, pela manhã, dia 17, a superintendente Regional do Banco do Brasil, Lúcia Helena Cruz Moya Cuevas visitou a sede do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb-SE).

“Esta foi à maneira que encontramos para nos aproximarmos mais da direção do sindicato. Nessa visita trocamos informações e ideias de assuntos corriqueiros de interesse do banco e do sindicato. É importante essa aproximação, a gente cresce desse jeito”, avalia a superintendente que estava acompanhada do gerente de Administração do banco, João Rogério.

Do Seeb-SE, recepcionaram os gestores do BB o presidente, José Souza e os diretores Ivânia Pereira, Milton Oliveira, Luis Alberto Dantas Ribeiro (Luizão).

José Souza saudou a iniciativa de Lúcia Helena e considerou o encontro proveitoso. Segundo ele, esta foi à terceira reunião da direção do Seeb-SE com a atual superintendente do BB. “É primeira vez que a recebemos no sindicato. Até então, éramos nós que solicitávamos as reuniões. Consideramos essa visita de cortesia como uma atitude de gestão positiva. Os dirigentes do BB compartilharam informações sobre mudanças que ocorreram no banco e nós aproveitamos para tratar de pendências específicas da categoria”, conta José Souza.

“É sempre bom à possibilidade do diálogo. Aproveitamos para buscar maiores esclarecimentos sobre as políticas da administração do banco”, disse o sindicalista Luis Dantas.

Reunião das sextas-feiras

No turno da manhã, foi realizada a primeira reunião de 2014 da diretoria executiva do Seeb-SE. Ordinariamente, os encontros da executiva realizados semanalmente todas às sextas-feiras, na sede da entidade.

Renovada em 30% dos seus quadros, a atual diretoria do Seeb-SE foi reeleita o ano passado com 97% dos votos para o triênio 2013/2016. O grupo vem com a tradição de aliar a ação cotidiana sindical classista à avaliação e ao planejamento coletivo.

“Com o encerramento do ano, retornamos às atividades de forma plena, avaliando e traçando ações das lutas específicas da nossa categoria. Nas reuniões semanais, avaliamos também a conjuntura política e econômica do País sob a ótica e interesses dos trabalhadores”, afirma o presidente do Seeb-SE.

Por Déa Jacobina do Seeb-SE