Bancários de Sergipe comemoram transferência da tesouraria do Banco do Brasil

Depois de quase duas décadas, em janeiro deste ano, a Tesouraria Central do Banco do Brasil (BB) saiu do calçadão João Pessoa, centro comercial da capital sergipana. A operação perigosa de transporte de malotes de dinheiro dos bancos foi transferida para um local mais apropriado.

A presença dos vigilantes tensos e armados com escopetas levando e retirando sacos de dinheiro no calçadão foi motivo de protestos do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb/SE). 

“Finalmente, depois de todos os riscos desse retardamento para inaugurar o novo prédio, agora bancários, comerciantes e frequentadores do calçadão estão mais seguros”, afirma José Souza.

O novo imóvel construído desde 20O7 estava desativado sem alvará de funcionamento e apresentava problemas na estrutura física, contava apenas com uma entrada para carros-fortes. “A própria construção da sede da Tesouraria do BB durou quase dez anos, foi concluída em setembro de 2007. Depois, o prédio sofreu novas adaptações para garantir a entrada e saída para carros-fortes”, conta o secretário financeiro do SEEB/SE, Everton Castro.

Durante todos esses anos, o Sindicato dos Bancários enfrentou a briga, denunciou e cobrou das autoridades públicas soluções imediatas para solucionar o impasse. “Estávamos preocupados com aquela situação. E antes de encerrar 2013, priorizamos a realização de novo protesto cobrando a transferência do serviço de transporte de valores. O ato aconteceu no dia 16 do mês passado no portão de acesso ao antigo prédio da Tesouraria”, conta José Souza.

Por Déa Jacobina Ascom Seeb-SE